domingo, 25 de setembro de 2011

Acidentes Ósseos

Acidentes Ósseos da Cabeça

Cabeça Óssea: Crânio e Face ou Calota e Base do Crânio

• Ossos do Crânio: (14) Pares – Parietal, Temporal, Ossículos do Ouvido: Martelo, Bigorna e Estribo; Ímpares – Frontal, Etmóide, Esfenóide e Occipital.
• Ossos da Face:(14) Pares – Maxilar, Nasal, Lacrimal, Zigomático, Palatino, e Concha Nasal Inferior; Ímpares – Mandíbula e Vômer.

• Base do Crânio: Fossas e Forames

o Fossa Anterior: (Esfenofrontal)
 Lâmina Crivosa do Etmóide – 1o par craniano – Nervo Olfatório
 Buraco Óptico - 2o par craniano – Nervo Óptico
o Fossa Média: (Esfenotemporal)
 Fenda Esfenoidal - 3o par craniano – Nervo Oculomotor, 4o par craniano – Nervo troclear, V1 par craniano – Nervo Oftálmico (ramo do trigêmeo) e 6o par craniano – Nervo Abducente.
 Forame Grande redondo – V2 par craniano – Nervo Maxilar (ramo do trigêmeo).
 Forame Oval – V3 par craniano – Nervo Mandibular (ramo do trigêmeo)
o Fossa Posterior: (Occipital)
 Meato Acústico Interno – 7o par craniano – Nervo Facial, 8o par craniano – Nervo 7o par craniano – Nervo Vestíbulo-coclear .
 Forame Jugular - 9o par craniano – Nervo Glossofaríngeo, 10o par craniano – Nervo Vago, 11o par craniano – Nervo Acessório.
 Canal do Hipoglosso ou conduto Condiliano Anterior - 12o par craniano – Nervo Hipoglosso.

OSSO FRONTAL
Vista Frontal
 Tuberosidade frontal, Margem parietal, Glabela, Margem supra-orbital, Arco superciliar, Incisura supra orbital, Face orbital, Processo zigomático, Escama frontal, Linha temporal.
Vista Inferior
 Margem supra-orbital, Incisura etmoidal, Espinha nasal, Face orbital.
Vista Interna
 Crista frontal, Face interna da escama, Fossa anterior
Articulações
 Frontal: Parietal, Esfenóide, Zigomático, Lacrimal, Maxilar, Nasal, Etmóide.

OSSO TEMPORAL
Face Externa
 Fossa mandibular, Meato acústico externo, Processo mastóide, Processo estilóide, Face externa da escama (face temporal), Tubérculo articular, Processo zigomático, Crista supramastóidea, Margem esfenoidal (anterior), Margem parietal (superior), Margem occipital (posterior).
Face Interna
 Face interna da escama, Sulco do seio sigmóideo, Parte petrosa, Eminência arqueada, Linha arqueada, Meato acústico interno.
Face Inferior
 Fossa temporal, Fossa jugular, Canal carotídeo, Fossa mandibular.
Ossículos do Ouvido
 Martelo, Bigorna e Estribo.
Articulações
 Temporal: Esfenóide, Parietal, Occipital, Zigomático e Mandíbula


OSSO ESFENÓIDE
Face Anterior
 Asa maior (temporal e orbitária), Processo pterigóideo medial (hámulo) e lateral, Crista esfenoidal, Asa menor, Corpo do esfenóide e Fenda esfenoidal ou Fissura orbitária superior.
Face Póstero-Superior
 Sela túrsica, Espinha esfenoidal, Fossa pterigóidea, Asa menor cerebral, sulco carotídeo, Forame óptico, Forame grande redondo, Forame oval, Processo clinóide (anterior, médio e posterior).
Articulações
 Esfenóide: Frontal, Etmóide, Temporal, Parietal, Occipital, Palatino e Vômer.


OSSO: MANDÍBULA (Corpo e Ramo)
Face Externa do Corpo
 Sínfise mentoniana, Protuberância mentual, Tubérculo mentual, Forame mentual, Linha oblíqua externa, Corpo e Ramo.

Face Interna do Corpo
 Forame lingual, Apófises Geni (espinhas mentuais), Fossetas digástricas, Linha obliqua interna (linha milo-hioidea).
Face Externa do Ramo
 Fossa massetérica, Ângulo da mandíbula
Face Interna do Ramo
 Forame mandibular, Língula da mandíbula, Sulco milo-hoideo, Ângulo da mandíbula, Processo coronóide, Incisura mandibular, Côndilo mandibular, Fossa condílica.
Articulações
 A.T.M. – Articulação Têmporo-Mandibular

OSSO PARIETAL
Face Externa
 Túber parietal, Linha temporal superior, Linha temporal inferior.
Face Interna
 Sulco da artéria meníngea média.
Articulações
 Parietal: Frontal, Parietal, Temporal, Esfenóide, Occipital.

OSSO OCCIPITAL
Face Externa)
 Protuberância occipital externa, Crista occipital externa, Linha nucal suprema, Linha nucal superior, Linha nucal inferior, Fossa condilar, Côndilos occipitais (articulação com o Atlas), Forame magno.
Face Interna
 Protuberância occipital interna, Fossa cerebral, Fossa cerebelar, Sulco do seio sagital superior, sulco do seio transverso.

SEIOS PARANASAIS
 Frontal, Esfenoidal, Maxilar e Etmoidal.


Acidentes Ósseos da Coluna Vertebral

1. Constituição: 33 ou 34 vértebras – 26 ossos
2. Divisão (Regiões): Cervical (7 vértebras), Torácica (12 vértebras), Lombar (5 vértebras), Sacral (5 vértebras), Coccígeas (3 ou 4 vértebras).
3. Comprimento: 71 cm (homem) e 61 cm (mulher)
4. Curvaturas:
• Cervical: convexa ventralmente. Estende-se do ápice do processo odontóide à metade de T2. É a curvatura menos pronunciada.
• Torácica: côncava ventralmente. Estende-se da ½ de T2 à ½ de T12. Seu vértice corresponde ao processo espinhoso de T7.
• Lombar: convexa ventralmente. Estende-se da ½ de T12 ao ângulo sacrovertebral. Convexidade maior nas 3 vértebras mais caudais.
• Pélvica: côncava caudal e ventralmente. Estende-se da articulação sacrovertebral à ponta do cóccix
Obs: as curvaturas torácica e pélvica são denominadas curvas primárias, pois estão presentes durante a vida fetal. A cervical e a lombar são curvas de compensação ou secundárias e aparecem depois do nascimento.
Cervical: surge na sustentação da cabeça aos 3 ou 4 meses e no sentar ereto aos 9 meses.
Lombar: surge no início da fase de marcha aos 12 ou 18 meses.
5. Faces:
• Ventral: a largura dos corpos vertebrais aumenta de C2 à T1, diminui levemente nas próximas 3 vértebras e torna a aumentar progressivamente no sentido caudal até o ângulo sacrovertebral. Deste ponto, há uma rápida diminuição até o ápice do cóccix.
• Dorsal: a linha mediana da face dorsal da coluna vertebral é ocupada pelos processos espinhosos:
• Região Cervical: exceto C2 e C7, são curtos e horizontais, com extremidades bífidas.
• Região Torácica: na parte cranial são oblíquos no sentido caudal; no meio são quase verticais e na parte mais caudal são horizontais.
• Região Lombar: são aproximadamente horizontais.
Obs: os processos espinhosos são separados entre si por intervalos consideráveis na região lombar, por intervalos mais estreitos na região cervical e aproximam-se estreitamente na região torácica.
• Laterais: separadas da face dorsal pelos processos articulares nas regiões cervical e lombar, e pelos processos transversos na região torácica. Apresentam ventralmente os lados dos corpos vertebrais; e mais dorsalmente, os forames intervertebrais, formados pela justaposição das incisuras vertebrais. Os forames tem forma oval, são menores na região cervical e parte cranial da região torácica e aumentam gradativamente de tamanho até o último lombar. Dão passagem aos nervos espinhais, situam-se entre os processos transversos na região cervical e são ventrais a estes nas regiões torácica e lombar.
6. Canal Vertebral: segue as diferentes curvas da coluna. É grande e triangular nas partes da coluna em que possui maior liberdade de movimento (regiões cervical e lombar); é pequeno e redondo na região torácica, onde o movimento é mais limitado.
7. Características gerais de uma vértebra:
• Corpo: é a maior parte de uma vértebra,
• Arco vertebral: constitui-se de um par de pedículos e um par de laminas que dão apoio. 7 processos: 4 articulares e 1 espinhoso.
• Pedículos: unem os processos transversos ao corpo vertebral. Estreitam-se no meio, formando as incisuras vertebrais superior e inferior que, justapostas formam os forames intervertebrais (conjugação).
• Laminas: fundem-se na linha mediana para completar a parte dorsal do arco e constituem a base para o processo espinhoso.
• Processos: Transversos: projetam-se lateralmente de cada lado do ponto em que a lâmina se junta ao pedículo. Dão inserção a músculos e ligamentos. Espinhoso: dirigem-se dorsalmente desde a junção das laminas. Dá inserção a músculos e ligamentos. Articulares: 2 superiores e 2 inferiores, partem das junções dos pedículos e laminas. O superior projeta-se cranialmente e suas faces são dirigidas para trás. O inferior projeta-se caudalmente e suas faces são dirigidas para frente. As faces articulares são revestidas de cartilagem hialina.
8. Estrutura de uma vértebra: o corpo é composto de tecido esponjoso, coberto por uma camada fina de osso compacto, enquanto que os arcos e processos tem um espesso osso compacto de revestimento.
9. Vértebras Cervicais: são as menores vértebras verdadeiras. Características:
• Corpo: pequeno, oval e mais largo transversalmente; a borda inferior da face ventral é mais prolongada.
• Forame vertebral: grande e triangular.
• Processo espinhoso: curto e bífido.
• Processos articulares: superior e inferior, unidos para formar um pilar articular.
• Facetas articulares: chatas e ovais.
• Processos transversos: perfurados pelos forames transversos dão passagem às artérias e veias vertebrais, acompanhadas de um plexo de nervos simpáticos
• C1 – Atlas: não possui corpo. Consiste de um arco anterior e um posterior e de duas massas laterais. Ausência de processo espinhoso. Apresenta forma anular.


Acidentes ósseos:
 Arco anterior
 Arco posterior
 Tubérculo anterior
 Tubérculo posterior
 Tubérculo para o ligamento transverso
 Face articular superior para o côndilo occipital
 Face articular inferior para o Áxis
 Massa lateral
 Processo transverso
 Forame transverso
 Forame vertebral
 Sulco da artéria vertebral

• C2 – Áxis: forma o eixo ao redor do qual gira C1 e a cabeça. Apresenta o processo odontóide, que é uma extensão cranial do corpo vertebral. O processo espinhoso é grande com extremidade bífida.

Acidentes ósseos:
 Dente (processo odontóide)
 Face articular superior para o Atlas
 Face articular anterior para o Atlas
 Face articular inferior para C3
 Face articular posterior para o lig. transverso
 Face articular posterior para os ligamentos alares
 Pedículos
 Corpo
 Massa lateral
 Processo transverso
 Forame transverso
 Processo articular inferior
 Processo espinhoso
 Forame intervertebral
 Laminas
 Incisura vertebral superior e inferior

* C7 – Proeminente: processo espinhoso longo e proeminente, quase horizontal, não bifurcado, terminando num tubérculo, local da inserção inferior do ligamento nucal. O forame transverso é inconstante e os vasos passam adiante do processo transverso e não através do forame.
10. Vértebras Torácicas: tem tamanho intermediário entre as cervicais e as lombares, proporcionando uma transição gradual das pequenas vértebras cervicais cranialmente para as grandes vértebras lombares caudalmente.

Acidentes ósseos:
 Corpo
 Forame vertebral – pequeno e circular
 Forame intervertebral
 Processo transverso
 Processo espinhoso (pontiagudo)
 Laminas
 Pedículos
 Incisura vertebral superior e inferior
 Processo articular superior e inferior
 Facetas articulares superiores e inferiores

11. Vértebras lombares: são os maiores segmentos da parte móvel da coluna vertebral.

Acidentes ósseos:
 Corpo
 Pedículos
 Forame vertebral
 Forame intervertebral
 Processo transverso
 Processo espinhoso (quadrangular)
 Laminas
 Incisura vertebral superior e inferior
 Processo articular superior e inferior
 Facetas articulares superiores
 Face articular para o osso sacro

12. Sacro: osso grande e triangular situado na região posterior da pelve. Sua base projeta-se ventralmente, formando o ângulo sacrovertebral.

Acidentes ósseos:
 Base
 Ápice
 Parte lateral superfície articular lombosacra
 Promontório
 Asa
 Processo articular superior
 Parte sacral da margem pélvica – linha terminal
 Cristas transversais
 Forames sacrais anteriores e posteriores
 Canal sacral
 Hiato sacral
 Superfície auricular
 Tuberosidade sacral
 Cristas sacrais lateral, mediana e intermédia
 Corno sacral

13. Cóccix
Acidentes ósseos:
 Processo transverso do cóccix
 Corno coccígeo



Acidentes Ósseos do Membro Superior

Membro Superior: Raiz: Clavícula e Escápula
Braço: Úmero
Antebraço: Rádio e Ulna
Mão: Carpo, Metacarpo e Dedos(falanges)
CLAVÍCULA
 Face articular acromial, Extremidade acromial, Extremidade esternal, Face articular esternal, Tubérculo conóide, Linha trapezóide, Impressão do ligamento costoclavicular, sulco para o músculo subclávio.

ESCÁPULA
 Fossa subescapular, Acrômio, Espinha da escápula, Fossa supra-espinhal, Fossa infra-espinhal, Incisura escapular, Ângulo superior, Ângulo inferior, Ângulo lateral, Cavidade glenóide, Colo da escápula, Tubérculo supra-glenoidal, Tubérculo infra-glenoidal, Processo coracóide.

ÚMERO
 Cabeça do úmero, Colo anatômico, Tubérculo maior, Tubérculo menor, Sulco intertubercular, Crista do tubérculo maior, Crista do tubérculo menor, Tuberosidade deltóidea, Sulco do nervo radial, Crista supracondilar lateral, Crista supracondilar medial, Côndilo umeral, Capítulo do úmero, fossa radial, Tróclea umeral, Fossa coronóide, Fossa olecraniana, Epicôndilo lateral, Epicôndilo medial, Sulco do nervo ulnar.

RÁDIO
 Cabeça do rádio, Circunferência articular, Fóvea da cabeça do rádio, Colo do rádio, Tuberosidade do rádio, Crista interóssea, Face articular do carpo, Incisura ulnar, Processo estilóide, Sulcos e Cristas.

ULNA
 Olecrano, Incisura troclear, Processo Coronóide, Incisura Radial, Tuberosidade ulnar, Crista do músculo supinador, Margem Interossea, Cabeça da ulna, Processo estilóide.
MÃO
 CARPO
• Fileira Proximal: Escafóide, Semilunar, Piramidal e Pisiforme.
• Fileira Distal: Trapézio, Trapezóide, Capitato e Hamato.
 METACARPO
• I, II, III, IV e V Metacarpianos.
 DEDOS
• Falanges: Proximal, Média e Distal. O polegar apresenta apenas as falanges proximal e distal, os demais tem as três.


Acidentes Ósseos do Membro Inferior

Membro Inferior: Raiz: Osso Ilíaco (quadril)
Coxa: Fêmur
Perna: Tíbia e Fíbula
Pé: Tarso, Metatarso e Dedos(falanges)

Quadril (Osso Ilíaco ou Coxal)
 Acetábulo, Incisura acetabular, Fossa acetabular, Asa do íleo, Crista Ilíaca (lábio externo e interno), Espinha ilíaca ântero-superior, Espinha ilíaca antero-inferior, Espinha ilíaca póstero-superior, Espinha ilíaca póstero-inferior, Fossa ilíaca, Face auricular ou sacro-pélvica, Linhas glúteas anterior, posterior e inferior, Incisura isquiática maior, Incisura isquiática menor, tuberosidade isquiática, Tubérculo púbico, Face articular sinfisial, Ramos púbicos superior e inferior, Forame obturado, Linha Arqueada, Eminência iliopúbica, Linha Pectínea.

Fêmur
 Cabeça femural, Fóvea da cabeça do fêmur, Colo femural, Trocânter maior, Trocânter menor, Crista intertrocantérica (posterior), Linha intertrocantérica (anterior), Fossa intertrocantérica, Tuberosidade glútea, Linha pectínea, Linha áspera, Superfície poplítea, Côndilo medial, Côndilo lateral, Fossa intercondilar, Epicôndilo medial, Epicôndilo lateral, Tubérculo adutório, Superfície articular dos côndilos, Superfície articular patelar, Linha intercondilar, Linha supracondilar lateral e medial.
Patela
 Face anterior, Face posterior com as facetas articulares lateral e medial, Base, Ápice.

Tíbia
 Côndilo lateral, Côndilo medial, Face articular superior com as facetas lateral e medial, Eminência intercondilar com os tubérculos intercondilares lateral e medial, Área intercondilar anterior, Área intercondilar posterior, Tuberosidade da tíbia, Face articular fibular, Crista interóssea, Linha do músculo sóleo, Maléolo medial, Face articular inferior, Incisura fibular, Face articular do maléolo, Tubérculo de Gerdy (anterior)

Fíbula
 Cabeça, Ápice da cabeça da fíbula, Face articular para o côndilo lateral da tíbia, Colo da fíbula, Crista interóssea, Maléolo lateral, Face articular para o tálus, Fossa do maléolo lateral, Sulco do maléolo lateral.


 Tarso
• Fileira Proximal: Tálus e Calcâneo
• Fileira Distal: Navicular, Cubóide, Cuneiformes: medial, intermédio e lateral.
 Metatarso
• I, II, III, IV e V metatarsianos (Apresentam uma extremidade proximal e uma distal. Suas faces dorsal e plantar são ásperas.
 Dedos
• Falanges: Proximal, Média e Distal (no hálux existe apenas as falanges proximal e distal).

Nenhum comentário:

Postar um comentário